Exercícios para a transformação espiritual 2

                                                                              A Força curativa da respiração - Marietta Till

A Respiração dos Elementos Sentado 

Este exercício proporciona muito prazer; exige, no entanto, especial força de concentração e de visualização. E preciso estar ciente de que os quatro elementos — o fogo, a água, o ar e a terra —estão presentes, de maneira natural e sutil, em tudo o que vive, as¬sim como o ar que nos circunda. 

Cada um deles tem as suas qualidades e irradiações características, de que podemos tirar proveito. 

Suponhamos que não sentimos energia ígnea suficiente dentro de nós, ou seja, que sentimos falta de iniciativa e de energia; nesse caso, podemos potencializar a força ígnea por meio desse exercício. Se temos falta de água, ou seja, falta de sensibilidade, simpatia ou descontração, sorvemos o elemento água em forma de vapor ou de neblina com todos os poros e “nos tornamos água”. O ar fortalece nossa capacidade de comunicação; a terra, o nosso apoio interior, o nosso nível material. 

Segue aqui a indicação sumária e separada do exercício para cada um dos quatro elementos, de modo a facilitar a sua realização. 

1. O elemento água 

Estamos sentados, em postura correta e descontraída, mantendo o abdômen solto. Visualizamos uma paisagem outonal com neblina, as árvores cobertas de orvalho e um riacho murmurando; nossos cabelos e pele estão úmidos, a água corre sobre o nosso rosto como lágrimas. 

Então, com a boca entreaberta (mais ou menos como na respiração I da coluna vertebral) e as bordas da língua tocando os dentes, aspiramos o elemento água desse ambiente. Tendo inspirado, suspendemos a respiração durante um breve tempo a fim de fixar dentro de nós o elemento água e, em seguida, expiramos lentamente, de maneira normal. Assim, sorvemos sete vezes, permanecendo um tempo um pouco mais longo, para nos aprofundarmos totalmente na natureza da água. Nós nos “tornamos água”. Em sete tempos, deixamos que a água torne a sair. Fazemos isso inspirando normalmente e, em seguida, com a boca em forma de bico, sopramos, fazendo “ssss”, de cada vez, uma pequena quantidade do elemento adquirido, devolvendo-o ao ambiente. Devolvemos o que recebemos, mas a experiência da “água” nos transformou. 

2. O elemento ar 

a) Sentamo-nos numa postura correta, com o abdômen descontraído. 

b) Imaginamos estar num morro, no meio do vento outonal. Pipas sobem, esvoaçam bandeiras, gralhas bailam no ar; o sopro do vento nos ajuda a aspirar, com todos os poros, o elemento ar. 

c) De boca entreaberta, aspiramos o elemento ar. 

d) Fazemos uma pequena pausa, fixando o elemento ar, e expiramos normalmente, de boca fechada. 

e) Repetir sete vezes. 

f) Expirar sete vezes, fazendo “ffff” após a inspiração normal. 

g) Apalpamos, em meditação, a experiência do “ar”. 

3. O elemento fogo 

a) Sentamo-nos em postura correta, com o abdômen descontraído. 

b) Imaginamos uma fogueira de São João numa montanha; o fogo crepita, as labaredas sobem para o céu; sentimos o calor e vemos as brasas vermelhas; coisas velhas estão se incinerando — transformação! 

c) De boca entreaberta, aspiramos o elemento fogo. 

d) Fazemos uma pequena pausa a fim de fixar o elemento fogo e, em seguida, expiramos normalmente, de boca fechada. 

e) Repetir sete vezes. 

f) Expirar sete vezes, fazendo “fff’, depois de ter inspirado normalmente. 

g) Sentimos, em meditação, a experiência “fogo”. 

4. O elemento terra 

a) Sentamo-nos em postura correta, com o abdômen descontraído. 

b) Imaginamos estar na margem de um campo recentemente arado que, dentro em pouco, receberá a semeadura. A terra aberta exala um odor de fertilidade; pensamos na semente que se abrirá para uma nova vida. 

c) Com a boca entreaberta, aspiramos o elemento terra. 

d) Fazemos uma pequena pausa, fixando o elemento terra e, em seguida, expiramos normalmente, de boca fechada. 

e) Repetir sete vezes. 

f) Expirar sete vezes, fazendo “ffff”, após ter inspirado normalmente. 

g) Sentimos, em meditação, a experiência “terra”. 

Efeito: Praticados com a necessária dedicação, os quatro exercícios acima poderão provocar uma transformação psico-espiritual. 

Imaginamos: “Eu sou a água, o rio, o oceano.” “Eu sou o ar, o vento; sou leve, estou voando, sou um com a humanidade.” “Eu sou o fogo, a chama, o calor.” “Eu sou a terra; estou firmemente plantado, cheio de confiança, aberto para o que acontecerá.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar! Está me ajudando a melhorar!
Beijos de luz
mirna